Entre em contato: (11) 3816-0441

Ilhas de calor: como minimizar esse efeito nas metrópoles?

Você já percorreu um parque da cidade ou um bosque e notou uma distintiva sensação de ar mais frio? Muitas vezes, este é um grande alívio nos dias quentes e ensolarados. Em pequena escala, você está experimentando o efeito das ilhas de calor.

Embora os habitantes da cidade tenham se acostumado com essas mudanças de temperatura, o efeito da ilha de calor pode realmente causar uma variedade de problemas ambientais e de saúde.

Para lhe ajudar a compreender mais sobre esse tema, preparamos um artigo indicando alguns dos efeitos desse fenômeno e como minimiza-lo. Acompanhe!

Qual é o efeito ilhas de calor?

A temperatura elevada nas áreas urbanas em relação às áreas rurais, menos desenvolvidas, é referida como o efeito das ilhas do calor urbanas. À medida que as cidades crescem e se desenvolvem, automaticamente, mais edifícios e pessoas vão sendo inseridos. Afinal, o processo de desenvolvimento urbano leva a esse fenômeno.

Embora tenhamos a ideia das ilhas de calor como um problema ecológico moderno, cientistas ingleses como Howard e Lombardo já observavam essa questão desde o século 19. Qualquer área (rural, urbana ou outra) pode experimentar o efeito das ilhas de calor, mas as áreas urbanas, geralmente, são mais preocupantes, pois representam uma ameaça mais séria para o aquecimento climático local.

O que causa esse efeito nas metrópoles?

Quando as áreas urbanas perdem a superfície terrestre e a vegetação natural, o calor não pode mais ser facilmente dissipado. Dessa forma, altos edifícios, concreto e vias de asfalto contribuem para o efeito de aquecimento. Além disso, temos o calor residual do uso de energia como outra fonte adicional. Outros fatores contribuintes incluem clima local, mudanças sazonais, hora do dia e localização geográfica.

Quais são as implicações das ilhas de calor?

As ilhas de calor são consideradas uma forma de mudança climática local ao invés de mudanças climáticas globais. Os efeitos são limitados a áreas específicas e não têm um impacto maior na mudança climática. Apesar de estarem confinadas a uma determinada localidade, ilhas de calor ainda podem causar um impacto significativo.

Em contrapartida, quando as pessoas estão com calor, muitas vezes ligam seus aparelhos de ar condicionado. Os aumentos no uso do ar condicionado não só resultam em mais calor sendo liberado para o ar, como também em mais emissões de gases de efeito estufa. Isso afeta negativamente a qualidade do ar e também pode levar a um aumento da poluição atmosférica urbana.

Como podemos minimizar as ilhas de calor?

Uma vez que o impacto das ilhas de calor é basicamente negativo, cientistas e pesquisadores estão buscando maneiras de reduzir e reverter os efeitos. A superfície escura do telhado é uma das principais culpadas dos aumentos de temperatura. Por isso, uma técnica popular para combater o efeito das ilhas de calor é a instalação de telhados verdes em edifícios urbanos.

Os telhados verdes, que estão alinhados com solo e certos tipos de vegetação, podem realmente ajudar as cidades a recuperar alguns dos efeitos de resfriamento e evaporação que a paisagem natural fornecia. Há cada vez mais evidências científicas de que os telhados verdes podem reduzir o calor nas áreas urbanas.

Outra estratégia ainda mais eficiente para a questão do calor nas metrópoles são telhados brancos que, segundo uma equipe do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley, na Califórnia, que se dedica a estudar uma forma de manter as cidades mais frias, podem reduzir cerca de três vezes mais o calor.

Existem muitos métodos diferentes para reduzir e até reverter o efeito do calor urbano, mas uma básica estratégia está no cerne de todos esses esforços: construção intencional e planejamento urbano. Ao construir e expandir cidades, devemos reconhecer o impacto que temos sobre o clima e o meio ambiente.

Gostou desse nosso post de hoje? Quer ficar sempre por dentro das novidades do nosso canal? Então não deixe de assinar nossa newsletter!